YouTube XMenu - Pedidos Online Facebook Instagram TripAdvisor

Notícias
 

24/08/2012
Exemplo de dedicação, canoísta ministra aulas de stand-up paddle para portadores de deficiência

A canoísta apoiada pela Kokimbos Verônica Guerra, promessa da canoagem santista, é um exemplo de dedicação ao esporte. Personal trainer e professora de educação física da Apae Santos, ela decidiu usar sua técnica e experiência de treze anos de trabalho com crianças especiais para ensinar a prática de stand-up paddle para pessoas com deficiência.

As aulas particulares são ministradas aos sábados pela manhã, na praia dos milionários, em São Vicente. Entre os alunos, estão portadores de deficiência, cujo aprendizado é focado em pontos como postura, integração e equilíbrio.

O trabalho teve início em fevereiro de 2011, com a Luzia, de 45 anos, portadora de deficiência visual. "Ela caiu de para quedas na minha vida. Eu estava passeando com o meu cachorro, quando uma amiga dela, a Aide, me perguntou se eu dava aulas de stand-up. Eu respondi que sim e as duas disseram que queriam fazer. Mas quando eu reparei que ela era deficiente visual, já era tarde. Já tinha aceitado dar aulas", lembra.

Embora já tivesse experiência de trabalhar com pessoas especiais, dar aulas de stand-up para Luiza foi um desafio novo para Verônica. "No começo, eu nadava ao lado dela, não ia para o fundo. Isso durou uns três meses, até eu sentir que ela estava confiante. Hoje, remamos sempre aos finais de semana. Foi lindo. Mudou a vida dela e a minha também", completa.

Arthur, de 6 anos, é outro aluno especial. Portador de Síndrome de Angelman, um distúrbio genético-neurológico, problema raro que costuma acometer mais os meninos, ele chegou às mãos de Verônica pela mãe do garoto, Adriana, que já conhecia o trabalho da professora na Apae.

"Foi um desafio incrível poder colocar o Arthur na prancha. Um verdadeiro trabalho de formiguinha, observando seus pequenos passos. Mas o progresso foi enorme e já estamos tendo ótimos resultados. A integração é muito boa e faz o menino se sentir muito bem", conta Verônica.

O mesmo trabalho é feito com Lucas, de 6 anos, que teve paralisia cerebral. "Estou cada dia mais feliz em dar aulas de Stand-Up Paddle para os meus queridos alunos especiais, pois fazer parte e poder ajudar de alguma forma a melhorar a condição de vida deles é, com toda a certeza, um presente de Deus", salienta a professora.

Atualmente, Verônica cobra uma taxa para poder custear o uso dos equipamentos, que são muito caros. Mas sonha em transformar as aulas em um projeto social voltado para portadores de deficiência. "Queria mesmo uma escolinha com cursos gratuitos para crianças especiais e carentes", conta.

Para isso, ela precisa de patrocinadores que possam doar pranchas de stand-up, remos, coletes ou ajudar com recursos financeiros.

Paixão pelo mar

Apaixonada pelo mar, Verônica começou a praticar canoagem e a participar de competições em janeiro de 2012, incentivada pelo técnico Fabio Paiva. Mas bem antes disso, já participava de campeonatos de stand-up e praticava surfe.

"Na canoagem, tudo começou como uma brincadeira. Um amigo, o Zkrlos de Souza, me levou para remar de caiaque e, graças a ele, eu estou conquistando várias vitórias", conta Verônica, que conta com o apoio da Kokimbos Pizzas e Picanha.

Aos 39 anos de idade, a paulistana de nascimento adotou a região para poder ficar perto do mar. Atualmente, além de ministrar aulas de canoagem, trabalhar fora, cuidar do filho, da casa e do marido, Verônica, ainda corre na praia e arruma tempo para treinar. Os treinos de canoagem e stand-up ocorrem sempre de manhã bem cedo.

A canoísta venceu duas das quatro etapas do Campeonato Paulista de Canoagem Oceânica, realizado em Santos. Se vencer a próxima, marcada para outubro, será a campeã do torneio. Verônica também vai participar do Campeonato Brasileiro de Canoagem 25 km, no dia 2 de setembro, em São Sebastião, e espera terminar em boa colocação.



« ANTERIOR | PRÓXIMO »


VOLTAR